Skip to content

TI para Negócios

Como fazer a tecnologia trabalhar pelo seu sucesso e da sua empresa

A Embratel anuncia novos incentivos à inovação com a inauguração de um escritório no inovaBra habitat, ambiente de coinovação do Bradesco. Instalado em São Paulo, o local foi criado em parceria com o WeWork e é considerado o maior espaço do gênero no Brasil. Possui 22 mil metros quadrados para hospedar especialistas das mais diversas áreas, incluindo os profissionais de soluções digitais e Internet das Coisas (IoT) da Embratel que trabalham em conjunto com jovens empreendedores, startups, investidores e aceleradoras para desenvolverem novas ofertas para promover a transformação digital de empresas de todos os tamanhos e setores.

“A inovação está no DNA da Embratel. A Embratel unirá o melhor dos dois mundos ao se instalar em um ambiente inovador como esse. Integrará sua experiência e excelência de longa data em ofertas digitais de TI e de telecomunicações, com o ímpeto inovador de startups e aceleradoras de ideias”, afirma Mário Rachid, Diretor Executivo de Soluções Digitais da Embratel. Segundo o executivo, esse é um espaço extremamente interessante para dividir conhecimento e criar novas soluções.

“Estamos felizes de contar com a Embratel para coinovar no inovaBra habitat. Acreditamos que os movimentos e atividades de colaboração para inovação proporcionados pelos times do inovaBra com os profissionais de diversos segmentos de atuação são fundamentais para a criação de ideias disruptivas com tecnologias como Blockchain, Big Data e Algoritmos, Internet das Coisas, Inteligência Artificial, Open API e Plataformas Digitais, que são os eixos estratégicos do habitat”, explica Luca Cavalcanti, diretor executivo do Bradesco.

A participação da Embratel no inovaBra habitat está alinhada à sua visão de negócios que prevê desenvolvimento contínuo de novas ofertas, sempre à frente do mercado. A Embratel manterá um espaço integrado no local para a troca de conhecimento e de experiências com empreendedores que poderão conhecer mais sobre suas soluções e compartilhar novas ideias de negócios.

“Estamos observando muitas novidades de startups no segmento de Internet das Coisas e buscamos manter um radar de inovação, trocando experiências sobre novos produtos e modelos de trabalho. A Embratel acredita que ao incentivar empreendedores irá obter resultados surpreendentes, com novas parcerias, criações compartilhadas e novos produtos em área de crescimento como a de IoT”, afirma Eduardo Polidoro, Diretor de Negócios de IoT da Embratel.

A parceria da Embratel com startups é duradoura, uma vez que a companhia patrocina há anos diversos eventos direcionados para esse segmento, além de sempre estudar novas ideias propostas. Essa colaboração já resultou em importantes soluções geradas a partir da troca de informações e experiências de mercado. Entre os setores atendidos pelas tecnologias criadas em sinergia com startups estão o automotivo, energia, cidades e saúde, por exemplo.

Para iniciar todo o processo de produção de medicamentos, a Arese Pharma, indústria farmacêutica brasileira com mais de 20 anos de tradição, depende da entrada das NF-e das matérias primas no seu sistema de gestão empresarial. Este processo, porém, demandava muito tempo e recursos dedicados na recepção das notas, validação e inserção dos dados no SAP, o que atrasava o processo de fabricação.

Em busca de mitigar esses riscos empresariais e ganhar velocidade, a farmacêutica decidiu automatizar os processos de recebimento de documentos fiscais do ERP com a solução Autorec fornecida pela Focus IT, consultoria especializada em serviços SAP e no fornecimento de soluções de automação.

O fornecedor emite a nota fiscal eletrônica contra a Arese e de forma automática o software Autorec se encarrega de extrair essa nota junto à SEFAZ e incluir as informações no SAP. O processo automatizado ainda inclui a validação das informações contidas no arquivo para checar se estão em conformidade com o pedido de compra, tais como o código do produto, quantidade, valores e impostos. Em caso de divergências, a solução alerta o usuário, proporcionando uma análise antecipada das divergências no recebimento físico, evitando, dessa maneira, um possível atraso na produção por conta do envio de matérias primas que não foram solicitadas.

“O processo de entrada da nota fiscal eletrônica no SAP, que era realizado de forma manual, levava cerca de dez minutos, o que atrasava a recepção dos veículos para descarregar a matéria prima e ainda não era 100% seguro, devido aos erros de digitação. Agora, com a automação do processo, as mercadorias são recepcionadas em apenas um minuto e conseguimos reduzir os custos com mão de obra, além de minimizar os erros na entrega das obrigações fiscais”, destaca o Gerente de TI da Arese, Renato Alex Bratfich.

Hoje, de acordo com o diretor comercial da Focus IT, Cesar Sassoon, toda a escrituração das notas emitidas contra a Arese, incluindo notas fiscais de consumo, matéria-prima e conhecimentos de transporte, são sustentadas pelo Autorec. “Adaptamos nossa solução para contemplar todas as particularidades do negócio Arese Pharma, assim como a automatização do cenário de subcontratação e beneficiamento. Tudo para garantir 100% de eficiência na entrega das obrigações fiscais da indústria, assim como na agilidade, no recebimento e na redução de custos com mão de obra”, finaliza Sassoon.

Paulo Henrique Pichini*

image003Conhecido como um dos maiores eventos de A/V – áudio e vídeo – do mundo, o INFOCOMM 2018 abriu ontem, em Las Vegas, sua área de exposição. Após três dias de congresso, treinamentos e certificações, tivemos acesso à área onde o INFOCOMM mostrou lançamentos, novidades e tecnologias capazes de redesenhar um mundo integrado e conectado. O grande foco são soluções de áudio e vídeo que se integram, criando ambientes e espaços onde a experiencia do usuário será absolutamente inovadora. Os espaços com estas novas tecnologias e soluções são sensoriais, inteligentes e obviamente colaborativos. Aos especialistas que vem de redes e infraestrutura, nota-se que as soluções de AV consideram sempre o uso de cloud computing, com redes de comunicação de acesso baseadas em velocidades maiores do que gigabits por segundo. Nada funcionará a velocidades menores; tudo tende a ocorrer sobre cabeamento óptico. Trata-se de um mundo novo, dentro de um Centro de Convenções, que nos dá a certeza de que a tecnologia está pronta e madura e as soluções estão chegando em alta velocidade.

O resultado disso é a vida integrada e mais colaborativa.

As soluções visam um ser humano conectado em casa, no trabalho e no lazer. É incrível a sinergia destas tecnologias e soluções, com os novos ambientes colaborativos e de convivência, que temos visto e comentado, onde o trabalho, o lazer e a convivência se confundem e se tornam mais eficientes e eficazes.

Do ponto de vista de definições técnicas, encontramos novos órgãos de padronização e regulação de conteúdo, de padrões de protocolos para áudio e de empacotamento e roteamento de streaming de vídeo. Os grupos de discussão se mantêm ativos e efervescentes, mas a tecnologia e as soluções brotam de forma – aparentemente – bastante maduras. Os players tradicionais das redes de comunicação e ICT, como a Cisco, a Microsoft, a Arista e outros, estavam presentes, mostrando seus endpoints de vídeo colaborativos. A Cisco trouxe o ex-Spark, renomeado para WebEx Teams; a Microsoft mostrou surfaces e pad’s, baseados em colaboração com Teams. Muito vídeo sendo mostrado por estes fabricantes de ICT.

Na outra mão da História, os provedores de áudio – Bose, Yamaha, Meyer Sound, etc. –, com as tradicionais caixas acústicas e mesas de equalização, lançam produtos com uma robustez e qualidade de fidelidade nunca vistos antes. Essas tecnologias são plenamente integradas a vídeo e dados, complementando os ambientes inteligentes e sensoriais. O mesmo se aplica aos fabricantes de vídeo, LED, OLED, QLed, e várias ofertas de painéis de led que já chegam a 0,7 pixel pitch, o que garante uma resolução muito próxima da perfeição. Todo esse universo está integrado com áudio e as soluções de colaboração, IoT e customizados para verticais importantes como Retail, Educação, Transportes e ambientes públicos (teatros, aeroportos, etc.).

Temos de estar preparados para este novo mundo integrado e conectado. Essas soluções vão mudar as formas de viver, trabalhar e se divertir…

O mercado de AV se mostra ainda muito imaturo com relação aos processos globais e as vendas e negócios no além-fronteiras. Percebe-se claramente que o nível de regras e regulamentações dos modelos de negócios do mercado de ICT ainda está amadurecendo no mundo das soluções de AV e automação. Ainda assim, o mercado brasileiro precisa se adaptar e tropicalizar de forma adequada os preços e métodos, de modo a construir propostas para ambientes corporativos e profissionais. É importante ressaltar que existe aí um vazio. Basta considerar que o AV nasceu mais fortemente no residencial e, agora, vem com toda velocidade para o corporativo. Que essa evolução seja bem-vinda e salve o usuário corporativo do tédio – com certeza esse público vai desfrutar com voracidade destes benefícios.

*Paulo Henrique Pichini é CEO & President da Go2neXt Cloud Computing Builder & Integrator