Negócios - TI para Negócios Skip to content

TI para Negócios

Como fazer a tecnologia trabalhar pelo seu sucesso e da sua empresa

Archive

Category: Negócios

O comércio eletrônico faturou R$2,1 bilhões no período de compras para o Dia dos Pais, celebrado neste domingo (12). O resultado aponta uma expansão de 8% com relação ao mesmo período do ano passado. O número de pedidos cresceu 22% para 5,11 milhões, enquanto o tíquete médio foi de R$409, queda de 11,5%. As informações são da c, considerando a expectativa de compra dos consumidores no e-commerce de 28 de julho a 11 de agosto.

De acordo com Pedro Guasti, consultor de Negócios Ebit|Nielsen, houve uma mudança no comportamento do consumidor neste ano. “A queda no tíquete médio foi impactada diretamente pela venda de produtos com menor valor agregado como livros, tênis, suplementos, perfume, camisetas e vinho. Isso mostra que os consumidores virtuais ainda estão bastante receosos em comprar produtos caros e contrair dívidas.”, disse.

Qual o movimento do mercado de Bebidas Alcoólicas?

Por conta das comemorações de Dia dos Pais, o mercado online de Bebidas Alcoólicas também vem registrando aquecimento. Além do vinho, que consta na lista do top 10 como opção para presentear, bebidas como vodka (96%)*, uísque (20%)* e cerveja (11%)* apresentaram crescimento entre os dias 01 e 07 de agosto, na comparação com o mesmo período do ano passado.

De acordo com dados da Nielsen, no mercado off-line- considerando o grande varejo, os feriados como o Final do Ano, Carnaval e Black Friday são highlights de vendas para Bebidas. Contudo, para o Dia dos Pais, Destilados são destaque como ocasião de gift. Em 2017, apenas a semana de comemoração representou para o segmento uma média de vendas em valor 70% acima das demais, com foco principalmente em uísque e gin premium.

Para uísque, houve um incremento de vendas em valor de 20%, em comparação com 2016, enquanto gin cresceu +400% dentro do período. “A ocasião acaba sendo um momento importante para fabricantes de destilados que apostam principalmente em packs com brindes e embalagens diferenciadas”, pontua Thiago Torelli, líder da indústria de Bebidas da Nielsen Brasil.

Estratégias de marketing digital apresentam melhores resultados quando os times de marketing e vendas trabalham alinhados. É o que aponta a 4ª edição do O Estado do Inbound 2018, realizada pela HubSpot. 30% dos entrevistados apontam as indicações vindas da equipe de marketing como melhor fonte de leads – este índice era de apenas 21% em 2016. Além disso, a comunicação digital ganha cada vez mais espaço entre as estratégias de vendas, hoje, 82% das empresas afirmam se relacionar com clientes e prospects por meio de e-mails.

“Antes de mais nada, percebemos que o marketing digital não funciona quando se trabalha sozinho. As equipes que relataram forte alinhamento entre as áreas de marketing e vendas conseguem perceber crescimento maior, em termos de orçamento, e em número de leads”, afirma Rodrigo Souto, gerente de Marketing da HubSpot para o Brasil. “Na HubSpot procuramos unir sempre as duas frentes em nossas soluções. Por exemplo, oferecemos uma ferramenta de CRM gratuita por entender que é preciso centralizar as informações de vendas e prospecções no mesmo ambiente em que são gerenciadas as estratégias de inbound marketing. Com o estudo, constatamos que 31% dos executivos de vendas gastam mais de uma hora por dia com o cadastro de informações em uma plataforma de gestão. É preciso aproveitar esses dados da maneira mais inteligente possível, já que esta é uma forma de simplificar os processos e otimizar os resultados”, explica.

O Estado do Inbound aponta que fechar mais negócios ainda é o principal foco dos times de vendas. Mas, as vendas por social selling ganham cada vez mais importância onde utilizar uma marca pessoal ou o relacionamento para atingir as pessoas certas nos negócios é uma das maneiras mais eficazes para obter resultados. Isso porque a maior parte dos leads, atualmente, vem de indicações.

Outros dados da pesquisa

Na América Latina, 70% dos entrevistados apontam o fechamento de negócios como prioridade dos times de vendas. Na sequência, estão o social selling, com 40%, o aumento da eficiência do funil de vendas (39%), o treinamento do time de vendas (29%) e a redução do ciclo de vendas (29%);
Entre os maiores desafios dos times de vendas, em comparação com 2 ou 3 anos atrás, estão o envolvimento de diversos tomadores de decisão no processo de compras, o fechamento de negócios e o recebimento de respostas dos prospects. 36% dos pesquisaram apontaram essas três questões como tarefas mais difíceis, seguidas de identificação de bons leads (31%), dificuldade em evitar descontos nas negociações (25%) e contato por telefone (21%);
55% dos entrevistados afirmaram ter dificuldades em atividades pré-vendas.

Metodologia

Para o levantamento “O Estado do Inbound 2018”, foram mais de 6 mil pessoas entrevistadas em 99 países – 36% delas de América Latina. O estudo foi feito de fevereiro a março de 2018 e a amostra é composta, majoritariamente, por respostas voluntárias de contatos e parceiros da HubSpot (a empresa suplementou um número menor de respostas do painel em determinadas regiões, como sudeste da Ásia e Europa central para garantir o tamanho de amostra válido).

A base de pesquisa é formada por diretoria executiva como CEOs e CMOs (23%), vice-presidentes (3%), diretores (11%), gerentes (27%) e colaboradores individuais (28%). A amostra foi obtida por meio da Luc.id, um provedor de painel de pesquisa.

O Gartner, Inc., líder mundial em pesquisa e aconselhamento imparcial em tecnologia, anuncia os resultados de pesquisa mundial sobre as vendas de PCs, Ultramobiles e Mobiles Phones. No segundo trimestre de 2018, as remessas desses dispositivos para todo o mundo estão em ritmo estável de crescimento (0,9%). No ano, as vendas devem chegar a 2,28 bilhões de unidades e o mercado de PCs e de tablets como um todo deve cair 1,2% em 2018, enquanto o de telefones móveis está em ritmo de crescimento de 1,4%.

“O mercado de PC ainda é prejudicado pela insuficiência do segmento de memória DRAM em 2018, devido à falta de capacidade online de ‘new wafer’. Como resultado, fornecedores de PC vão continuar aumentando seus preços durante todo o ano”, diz Ranjit Atwal, Diretor de Pesquisa do Gartner. “Telas maiores e quadros mais gráficos também significam custo maior, acrescentando à conta de equipamentos para negócios e consumidores domésticos”.

Embora o mercado de PC seja sensível a preço, o Gartner vem testemunhando a migração da demanda empresarial para PCs de ponta como dispositivos premium ultramobile, que registram crescentes valores. O Gartner estima que remessas de unidades premium ultramobile devem crescer em 12% em 2018.

Encerramento do Windows 7 marcará próxima importante mudança no mercado de PCs

A próxima importante mudança no mercado de PC será marcada pelo fim do suporte ao Windows 7 em janeiro de 2020. “Se tornou primordial para empresas migrarem para o Windows 10 assim que possível, e certamente até o final de 2019″, afirma o analista do Gartner.

A América do Norte iniciou a primeira fase de migração para Windows 10 em 2015 e irá concluir em meados de 2019. A Europa Ocidental está intensificando a adoção do programa em 2018. No entanto, na China, Japão e outras regiões emergentes, os planos de migração estão sendo deslocados de 2018 para 2019 uma vez que esses países continuam se preparando complicações inerentes à mudança de processos e procedimentos do Windows como um serviço.

Influência da China no mercado global de dispositivos

Apesar de ser afetado por fatores macroeconômicos e de desenvolvimento tecnológico, o mercado global de dispositivos também é influenciado apenas pelo mercado chinês. “A China responde por mais de 20% do gasto global com dispositivos. Então, qualquer mudança que aconteça lá pode provocar significativas oscilações no crescimento de mercado global”, explica Atwal.

Com aproximadamente 1,9 bilhão de unidades a serem embarcadas em 2018, aparelhos de telefonia móvel são os principais influenciadores na expansão do mercado global de dispositivos. Na China, as vendas de telefones móveis caíram 8,7% em 2017, para 428 milhões de unidades, mas devem crescem 3,3% em 2018, representando 23% das vendas totais do ano.

O mercado tradicional de PCs na China está em ritmo de queda de 1,7%, com 38,5 milhões de remessas em 2018, representando 21% do total de envio. A queda acontece apesar de a China ser dependente do negócio, com dois terços das remessas de PCs provenientes desse segmento.

“A tendência decrescente que a China vivencia está, sem dúvida, afetando o mercado de dispositivos em todo o mundo”, alerta Atwal. “A China é um país interessante para observar este ano. A continuidade da introdução de uma versão chinesa do Windows 10 no segundo semestre de 2018, bem como o ciclo de substituição do IPhone da Apple esperado para 2019, irá gerar demanda”.